25 Setembro a 9 Outubro

2022

HALF PT1001

Um Portugal às metades é uma solução para quem não pode despender tantos dias da sua vida profissional ou que a distância dos 1001km ainda seja algo assustador. É, ainda assim, um desafio muito intenso, muito imersivo em toda a cultura deste povo que foi de Heróis do mar e é nobre e valente.

A divisão de Portugal em duas metades, norte e sul, é algo perfeitamente assumido pelos Portugueses. O rio Tejo faz naturalmente essa divisão e desde os primórdios desta nação que assim é: há um antes e um além Tejo, para nós um antes do centro, AC, e um DC, depois do tejo.

AC  – Antes do Centro
518Km / 18102m D+

DC – Depois do Centro
544Km/10272m D+

    AC – (NORTE – CENTRO)
    Chaves – Alter do Chão
    7 DIAS / 518Km / 18.102m D+

    Atravessamos Portugal um pouco mais que a metade. Vamos além do Tejo e viajamos até ao interior Alentejano, Alter do Chão, famoso pela sua Coudelaria e por ser o reino do Cavalo Lusitano. São referencias as encostas do Douro, a Serra da Estrela e o Pinhal interior.

    São 7 dias de um Portugal mais verde, com declive mais acentuado e também com outra diversidade de paisagens.

    Etapa mais longa – Gouveia – Fundão 81,0 km – Etapa nº 4

    Etapa Menor – Castelo Vide – Alter do Chão 70,5 km – Etapa nº 7

    Média diária – 74,4 km

     

    DC – (CENTRO – SUL)
    CASTELO DE VIDE – SAGRES
    8 DIAS / 544Km / 10.272m

    O Alentejo é o ponto de partida para esta travessia da metade sul do país. Iniciamos junto à fronteira com Espanha, Castelo de Vide, e atravessamos todo um interior alentejano e rumo ao litoral, à Costa Alentejana e depois para a Vicentina e o Algarve.

    É uma metade com uma paisagem mais uniforme, mais plana e de longos caminhos até se atingir o mar.  É também uma secção da PT1001 com menos povoados ao longo do caminho que vão exigir outro tipo de autossuficiência.

    Etapa mais longa – Estremoz – Évora 76,9km – Etapa nº 3

    Etapa mais curta – Aljezur – Sagres 50,0km – Etapa nº 8

    Média diária – 68 km